Rio de Janeiro - RJ

Frações do Petróleo

Craqueamento e Fracionamento do Petróleo


AIM Brazil Oil & Gas Asset Integrity Management 2013 Agenda

Confira 6 excelentes razões para participar desta conferência:

  • Aproveitar a oportunidade de avaliar, com seus pares de mercado, as melhores práticas adotadas pelos profissionais envolvidos com o Asset Integrity Management para identificar riscos e realizar ações preventivas.
  • Debater como garantir um ciclo de vida mais longo para os ativos e reduzir custos operacionais no decorrer da cadeia produtiva de Óleo & Gás.
  • Partilhar experiências em métodos de manutenção e gerenciamento de equipamentos: procedimentos de sucesso para aumentar o desempenho do ativo em ambientes críticos.
  • Ter a chance de fazer networking com os tomadores de decisão do Asset Integrity Management na indústria brasileira de O&G e encontrar os principais fornecedores de soluções do mercado em um único local.
  • Acessar insights sobre as melhores práticas para atender às normas técnicas em vigor que impactam o gerenciamento da integridade de ativos no setor.
  • Manutenção Centrada em Confiabilidade: encontrar soluções para implementar uma metodologia que garanta segurança e otimize o desempenho operacional dos ativos, acarretando proteção ambiental para a área de atuação.


Frações do petróleo são as partes comerciais obtidas pelo processamento nas operações de refino e é uma divisão por pontos de ebulição, por isso, também são chamadas produtos de petróleo. O petróleo (óleo de pedra) é uma mistura de compostos orgânicos, com predomínio de hidrocarbonetos, mas que contém outros elementos ou compostos. O carbono está presente com 84% seguido do hidrogênio (14%), enxofre (de 1 a 3%), nitrogênio, oxigênio, metais e sais, estes com menos de 1% de presença.

Obtido da perfuração, o petróleo bruto passa por processos mecânicos de purificação como a decantação e é submetido a um processo de fracionamento de onde se obtém diversas frações do petróleo. Esses componentes são aquecidos com vapor de alta pressão e as misturas, com diferentes pontos de ebulição, são facilmente separadas por um processo chamado de destilação fracionada. O fracionamento do petróleo é uma etapa muito importante no processo de refino. Muitos dos compostos saem prontos para serem comercializados, mas outros devem ser processados quimicamente para criar outras frações. Após o fracionamento do petróleo têm-se o gás liquefeito do petróleo (GLP), a gasolina, éter de petróleo, a benzina especial, a ligroína, o óleo diesel, a querosene e outros óleos lubrificantes.

Já o craqueamento do petróleo (cracking) divide grandes cadeias de hidrocarbonetos em pedaços menores e há vários tipos diferentes de craqueamento de petróleo como o térmico, onde as cadeias de hidrocarbonetos são aquecidas a altas temperaturas (e algumas vezes a altas pressões também) até que se quebrem. Outro tipo de craqueamento é a vapor e utiliza vapor de alta temperatura (816°C) para craquear (quebrar) etano, butano e nafta em etileno e benzeno, matérias primas usadas para fabricar produtos químicos. A viscorredução, como o próprio nome diz, reduz a viscosidade de óleos pesados e produz o alcatrão. Há ainda o coqueamento, o craqueamento catalítico fluido, o catalítico, o hidrocraqueamento que quebra o óleo pesado em gasolina e querosene (combustível de aviação).

Após esses e outros tratamentos das frações de petróleo, elas são resfriadas e misturadas para formar produtos como a gasolina de vários tipos, com ou sem aditivos, os óleos lubrificantes com diferentes pesos moleculares e tipos e, a querosene de vários tipos. Além desses: combustível de aviação, óleo diesel, óleo combustível e diferentes tipos de produtos químicos para a produção de plásticos e outros polímeros.